Para você ficar magra como eu:

/
3 Comments

Eu emagreci mais de 20Kg, passei dos 78kg para 51kg em, mais ou menos 2 anos e meio. Muita gente que não me conhece muito bem ou que não me vê há muito tempo fica espantada, perguntam como, o que eu fiz para perder tanto peso.

Não foi nenhuma dieta milagrosa, nem cirurgia revolucionária e nem um remédio mágico. Para perder tanto peso eu fiquei doente, muito doente. Fui diagnosticada com uma DII - Doença Inflamatória Intestinal chamada Colite Eosinofílica.

Eu nunca fui uma pessoa com a saúde muito boa, sempre tive problemas recorrentes e desde a adolescência tive que lidar com o sobrepeso, eu era a "gordinha" da turma, nunca encontrava roupas legais que servissem em mim, me sentia feia, não me cuidava, não tive nenhum namoradinho, não vivi descobertas amorosas. 

O fato de ter sido gorda não foi bom na minha vida, eu não me sentia bem comigo mesma, na época em que eu era adolescente não tinha ninguém dizendo que ser gorda não era errado, que não fazia de mim uma pessoa feia, que não era motivo pra que eu fosse triste, eu não ouvi esse discurso quando era gorda, me fez muita falta.

Comecei a engordar quando estava entrando na adolescência
Hoje em dia ainda há muito a ser feito sobre gordofobia, aceitação e autoestima, mas já é uma vantagem existirem pessoas colocando o tema em pauta, pessoas se tornando modelos a serem seguidos no sentido de moda e estilo de vida, pessoas mostrando através de suas próprias experiências que ser gorda ou acima do peso não é o fim do mundo e que não te torna alguém com menos valor.

Mas eu tenho que fazer uma confissão: eu não era gorda por problemas hormonais ou por alguma condição médica, eu comia muito, muito mesmo, quantidades inacreditáveis de comida, e nada saudável, eu fiz muito mal pro meu corpo, por muitos anos, me afogava na comida. Eu conseguia, em uma refeição, comer 1 lasanha que servia 4 pessoas, 1 porção de batata frita e 1 Sundae de chocolate de sobremesa, comia tudo isso sozinha! Eu comia quando estava triste, comia quando estava feliz, comia quando o dia estava corrido, comia quando o dia estava calmo: qualquer coisa era um motivo para comer. 

Eu engordava demais, tentava dietas e tratamentos, mas nada dava certo, eu amaldiçoava o meu corpo por achá-lo feio, desproporcional, nojento, por nenhuma roupa caber em mim, por muitas vezes eu preferia morrer do que ser gorda, eu odiava ser gorda.

Tive tantos problemas de autoestima por ser gorda que por muito tempo eu não tirava fotos, odiava a minha própria imagem, por isso a maioria das fotos deste texto são antigas, de bem antes da fase em que ganhei mais peso.

Por muitos anos eu lutei contra a balança e me sentia infeliz com a minha aparência.
Eu achava que emagreceria algum dia, fazia planos, tinhas sonhos para quando ficasse magra: as roupas que compraria, os lugares aos quais eu iria. Passei inúmeras vezes pelo "efeito sanfona", emagrecia, ficava bem, mas engordava tudo de novo. Até que um dia eu me conformei, percebi que aquela era eu e que a única alternativa que eu tinha era aceitar viver do jeito que eu era, passei a tentar não me importar se as roupas não ficavam bonitas em mim e tentava sair da paranóia de que todas as pessoas que me viam no dia-a-dia comentavam entre cochichos e risos o quanto eu era gorda.



Porém algo inesperado aconteceu no dia 15 de setembro de 2013: eu fiquei muito doente, comecei a ter vômitos e uma diarréia que não parava (cheguei a ficar 15 dias direto nesta situação), eu sentia muita dor e nenhum médico conseguia me dizer o que eu tinha. Eu que antes me amaldiçoava por ser gorda perdi muito peso sem nem perceber, eu que recorria à comida para lidar com as minhas emoções passei a me alimentar apenas com banana e água de coco nos dias mais críticos pois eram os únicos alimentos que meu corpo não rejeitava.

Passei por internações, exames dolorosos, muita tristeza, um dia eu estava realmente agonizando na cama, eu olhei para o céu pela janela do quarto e realmente tive a sensação de que iria morrer, de que meu corpo não iria aguentar.

Mas Deus começou a agir na minha vida, eu encontrei um médico especialista que conseguiu me dar um diagnóstico, me passou os remédios certos e me orientou na minha alimentação. Inicialmente tive que parar de comer alimentos com glúten e lactose, mas atualmente já estou reintroduzindo alguns tipos de alimentos.

Essa sou eu atualmente, emagreci mais de 20 Kgs mas minha saúde não é mais a mesma.

A vida ainda não está fácil, tenho deficiência de muitas vitaminas por causa das restrições alimentares, ainda vou para o hospital de vez em quando, tenho que complementar minha alimentação com remédios, muitas vezes me sinto cansada, sinto fraqueza, mas tento lidar com todos os sintomas da melhor maneira possível.

Hoje digo que sou feliz na medida do possível, mas o peso, que por tanto tempo foi importante na vida hoje em dia não é mais uma preocupação, minha saúde é minha maior preocupação. Não me preocupo mais com calorias, mas sim com nutrientes e vitaminas, hoje em dia eu valorizo muito mais o que eu como, eu entendi que o meu corpo é uma máquina perfeita que necessita do combustível certo para funcionar bem.

Hoje tenho que fazer escolhas saudáveis. "Furar" a dieta não é uma opção. Nem "dia do lixo".
Eu não fui uma gorda saudável pois comi todo tipo de comida que faz mal à saúde, o que acabou me deixando doente, e hoje sou uma pessoa magra que tem a saúde frágil. Não estou relatando aqui a minha experiência para dizer que é melhor ser gorda ou melhor ser magra. O que quero que as pessoas entendam é que nós precisamos respeitar nossos corpos.

Maus hábitos podem gerar doenças sérias e complicar doenças já existentes. Consumir quantidades extremas de comida que faz mal à saúde pode nos colocar em situações extremas, exagerar na gordura, carboidrato, açúcar pode ser um risco para a saúde.

Aceitar o próprio corpo é o primeiro passo pra ser feliz e ficar em paz.
Meu recado para quem está lendo esse texto é: 
Seja o que for que você esteja fazendo de errado com seu corpo, pare agora!

Se está comendo demais como eu fazia: PARE!
Se não come nada para emagrecer: PARE!
Se você bebe demais: PARE!
Se você não se cuida em relações sexuais: PARE!
Se você está usando drogas: PARE!

Não amaldiçoe seu corpo, não desvalorize seu corpo, não se menospreze, você é um ser precioso! Você é alguém especial, não é conversa, não é clichê, é verdade!

Não tenha inveja dos outros, de seus corpos, de suas vidas, muitas vezes as pessoas passam por dificuldades e os outros nem imaginam.

Muita gente me diz que queria emagrecer como eu, que se acham gordas, que não estão satisfeitas com suas formas físicas, já até ouvi, em tom de brincadeira: "nossa que doença boa essa!". 

Então, para você ficar magra como eu, meu conselho é:
Não queira ficar magra como eu: com a saúde abalada e arrependida, emagreça adotando hábitos saudáveis e fazendo bem para a sua saúde!

Ame seu corpo
Cuide de seu corpo
Não amaldiçoe quem você é
Não inveje as pessoas à sua volta
Não pense que tem algo de errado com você!

Você tem seu próprio valor, se cuide, se ame, seja saudável e seja feliz!


Postagens Relacionadas

3 comentários:

QUERIDO LEITOR, OS COMETÁRIOS DESTE BLOG SÃO MODERADOS.

Não gaste suas preciosas mãozinhas digitando um texto gigante com xingamentos e palavrões pois ele não será publicado.

Você pode até usar de um tom agressivo, dependendo de como esteja se sentindo, críticas são bem-vindas, mas por favor não use palavras de baixo calão.

Por isso comente sem morder, xingar ou ameaçar o coleguinha por favor!

BEIJOS DE LUZ!

Ass: CAROL

Ps: Para os que se sentirem extremamente ofendidos será dado direito de resposta.

Tecnologia do Blogger.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...