10 Coisas que eu Amo/Odeio em Petrópolis (Petrópolis: Terra do Povo-Kiwi)

/
32 Comments

Devido ao sucesso do texto 25 Coisas que EU descobri quando vim morar em Petrópolis decidi fazer a segunda parte do texto sobre a minha visão desta cidade da região serrana. Usei como base as minhas próprias experiências e algumas dicas deixadas nos comentários sobre alguns fatos da cidade que eu me esqueci de mencionar.

Então vamos lá:
10 Coisas que eu Amo/Odeio em Petrópolis

1. Amo: O Ecossistema

Paisagem do Parque Natural Municipal de Petrópolis.

Na primeira parte do texto eu já havia mencionado: Em Petrópolis o verde é 1000x mais verde do que nos outro lugares, e é mesmo, a natureza aqui é exuberante! O clima é praticamente uma marca registrada da cidade, clima ameno e fresquinho. Apesar das altas temperaturas nos últimos tempos, Petrópolis ainda tem um clima muito mais agradável do que o Rio de Janeiro.

Saguis no Parque Natural Municipal de Petrópolis e Ouriço resgatado no meu prédio pela equipe do Instituto Chico Mendes e pelo Dr. Felipe Falcklam
Não posso deixar de mencionar a fauna daqui, em certos lugares é possível ouvir nitidamente o canto dos pássaros. Ouriços, esquilos e saguis-caveirinha são encontrados aos montes. Meu apartamento fica de frente para a mata, por isso ver os pequenos saguis brincando nas árvores e muito comum! 

2. Odeio: Os Serviços Públicos

O aumento da passagem de R$ 2,80 para R$ 3,20 revoltou a população
Infelizmente Petrópolis está na tendência de grandes metrópoles brasileiras com serviços públicos de baixa qualidade. Os hospitais daqui muitas vezes não cumprem o que deveriam e a população fica de mãos atadas quando precisa de atendimento. 

O transporte público é outro grande problema: preço alto e qualidade do serviço baixa. Inclusive estão ocorrendo vários atos de protesto contra o aumento da passagem de ônibus.

3. Amo: O Ar Condicionado da Leader Magazine na Rua Paulo Barbosa

Ar Condicionado da Leader: A salvação para o calor!
Fato é que Petrópolis quanto ao clima não é mais a mesma, tem feito um calor desgraçado aqui no verão. Atire a primeira pedra quem nunca entrou na Leader Magazine da Rua Paulo Barbosa só pra dar uma refrescada no ar-condicionado!

4. Odeio: As Vitórias do Museu Imperial

Os maus-tratos aos cavalos são uma grande polêmica na cidade. Alternativas foram apresentadas, mas ainda não foram implementadas.
As vitórias são carruagens puxadas por cavalos e receberam esse nome em homenagem à Rainha britânica Vitória, sendo utilizadas como passeio turístico na cidade desde a década de 40. O que acontece em Petrópolis é muito grave e os turistas nem imaginam o que os animais passam. Os cavalos não são bem tratados, eu mesma, inclusive já presenciei uma cena lamentável: um dos cavalos que puxavam uma vitória desmaiou de cansaço na rua. ONG's, promotores e uma comissão da OAB tentam constantemente denunciar a situação dos animais.

Existem algumas iniciativas para regulamentar o funcionamento das vitórias de modo que não seja tão prejudicial aos cavalos e algumas alternativas estão sendo propostas para diminuir o número de vitórias e as horas de trabalho dos animais, o jeito é esperar pra ver.

5. Amo: As Gírias
"Vinida" (isso mesmo, sem o "A") ou Lá fora = como é chamado o centro de petrópolis.
Bom, eu já falei do "dialeto" petropolitano e de como ele é interessante. Acho muito legal como a herança histórica reflete na linguagem das pessoas! As gírias petropolitanas já me renderam situações engraçadas e muitos micos pois, no começo, eu não entendia muito bem o sentido dessas palavras. Hoje em dia já estou acostumada e acabo me utilizando delas até quando não estou na cidade.

Vou deixar aqui um pequeno dicionário:

Ruço (agora escrevi corretamente com Ç) = Neblina
Aplicação em uma frase: 
"Tá baixando ruço."

Saca = Sacola
Aplicação em uma frase: 
"Tem uma saca para me emprestar?"

Vinida ou Lá fora = Centro da cidade. 
A mania de chamar de avenida é porque no início da Republica a Rua do Imperador era chamada Avenida XV de Novembro  (comentário de um leitor anônimo)
Aplicação em uma frase:
"Eu vou lá fora comprar uma blusa"
"Me encontra na vinida amanhã."

Hora e meia, quinze pra hora = modo de informar as horas
Aplicação em uma frase: 
"O ônibus vai passar quinze pra hora."

6. Odeio: Falta de seta nos carros

Em muitas vias da cidade é essencial que os motoristas utilizem a seta: isso facilitaria a vida de muitos pedestres
O Trânsito de Petrópolis tem dado muita dor de cabeça para quem vive aqui. Ultimamente é preciso ter paciência nos horários de pico e para quem é pedestre (eu) também tem sido um desafio. Esse problema é muito comum em outras cidades e aqui não é diferente: a falta de seta dos carros. Não sei se os modelos novos não vem com esse recurso ou se as pessoas simplesmente se esquecem de usá-lo. A questão é que ficar um tempão tentando adivinhar se o carro vai virar a rua ou não para que você possa atravessar é um exercício de paciência, principalmente se você está com pressa. Porém aqui há um bônus: em ruas sem sinal de trânsito, mas com faixa de pedestres, normalmente os motoristas param e deixam as pessoas passarem, o que é raro de ver em outros lugares do país.

7. Amo: A Segurança da cidade

Petrópolis é uma cidade segura e muito tranquila
Apesar de, ultimamente, ocorrerem casos de violência na cidade em alguns pontos específicos, em relação às cidades maiores, Petrópolis é inegavelmente mais segura e tranquila. Aqui você não precisa viver na paranoia de que alguém vai roubar a sua bolsa. Em horários nos quais ninguém nem sonha em sair sozinho no Rio de Janeiro aqui você pode andar na cidade com certa tranquilidade. Aqui não se vê, pelo menos no centro da cidade, grandes arrastões ou grupos de ladrões que roubam motoristas e pedestres. O policiamento ostensivo não acontece em todos os bairros, existem lugares mais perigosos na cidade, porém Petrópolis, no geral, é um lugar mais tranquilo e ordeiro.

8. Odeio: O Horário das lojas

Semana Inglesa: Segundas-feiras com menos graça do que o de costume

Aqui em Petrópolis há um sistema chamado "semana inglesa" no qual as lojas, na segunda-feira começam a funcionar mais tarde por volta das 14:00hs, para compensar o funcionamento do comércio aos sábados até as 20:00hs.

Isso pode render alguns problemas para quem não conhece o sistema ou precisa, de última hora comparar algo importante. Com exceção das farmácias e de alguns mercados e padarias, se você quer ou precisa comprar algo em alguma loja na segunda-feira de manhã vai ter que esperar até mais tarde.

9. Amo: Os preços e ofertas de produtos sem glúten e sem lactose

X da Saúde e Via Verde: Lojas especializadas em produtos sem glúten e sem lactose.
Petrópolis é vanguardista no que diz respeito ao comércio de produtos sem glúten e sem lactose. Faço uso desse tipo de produto e afirmo: Petrópolis está anos luz à frente de outras cidades tanto na questão de oferta quanto na questão do preço.

Há uma incrível variedade de produtos, alem de lojas especializadas e funcionários treinados. Algumas amigas minhas , quando me visitam, costumam fazer "compras de mês" aqui em razão do preço desses alimentos que sai muito mais em conta.

10. Odeio: As condições da Rua Coronel Veiga

Rua Coronel Veiga: Toda vez que chove é um transtorno

Esta rua é a prova do que a falta de planejamento pode fazer com uma via importante de uma cidade. Uma das principais ruas que dá acesso ao centro histórico de Petrópolis, a Rua Coronel Veiga fica constantemente com o tráfego congestionado sem falar que quando chove é certo que haverá enchente. 

Bônus: Amo/Odeio = O Povo Petropolitano
(Gente, calma, me deixem explicar!)

Petrópolis: Terra do Povo-Kiwi


Quando cheguei aqui em 2008 o jeito do povo não me agradou, não me senti bem recebida e achei que as pessoas tinham uma ideia errada de quem vem do Rio. Achei a atitude das pessoas fria e me senti excluída por onde eu passava, pra mim, foi bem difícil.

Com o passar do tempo fui entendendo que é preciso "mudar o filtro" com os Petropolitanos e percebi que eu não posso pensar que todos tem jeito de carioca que já vem falando e fazendo amizade sem perceber. Em petrópolis o ritmo é diferente e a cultura, por sua vez é diferente também. Aqui as pessoas são cuidadosas, são mais calmas e mais ordeiras. O Petropolitano leva um tempo para confiar em alguém que não conhece e para se acostumar com alguém diferente.

Em petrópolis percebi uma certa barreira que, talvez seja uma forma de proteção. Mas o que acontece quando você ultrapassa a barreira é algo incrível: você conhece pessoas maravilhosas, companheiras, amigas de verdade! Aqui não há fogo de palha no que diz respeito à amizade, as relações aqui tem um peso maior e um comprometimento maior também. Aqui é possível fazer amizades duradouras e especiais.

Eu compararia o Petropolitano à um Kwii: se você olhar pela primeira vez não dá nada por ele, acha que é uma fruta feia e que tem um gosto ruim, mas quando você vê o interior dele é revelada uma cor verde exuberante e linda! Assim é a minha percepção do povo petropolitano: no primeiro momento um povo frio e mal humorado mas que com o passar do tempo se mostra um povo calmo, carinhoso, companheiro, que pensa antes de falar e que evita se aborrecer atoa.

Não escrevi este texto para aliviar minha barra com que eu escrevi na parte 1 ou para tentar "justificar" o que eu escrevi temendo que as pessoas me odeiem. Sustento tudo o que escrevi naquele texto, pois não escrevi nenhuma mentira, escrevi aquilo que vivi e o que vivo hoje. Aqui, no blog que criei para escrever sobre o que eu gosto, escrevi o que eu sinto e como eu vejo a cidade e seu povo.
Eu aos 5 anos de idade com meu pai no museu imperial.
Eu sempre quis morar em petrópolis, sempre gostei daqui, tive dificuldade para me adaptar sim pois eu vim parar em um lugar diferente do que era meu costume, mas aqui aprendi lições valiosas e conheci pessoas incríveis. Me decepcionei, me surpreendi, fiquei triste, fiquei feliz, achei tudo uma droga, achei tudo lindo, odiei e amei.


Eu amo Petrópolis!
Eu escolhi viver aqui e eu sou feliz aqui.

Ps: Tem gente boa fora do meu facebook, quem diria.

GALERA FINALMENTE PUBLIQUEI O GUIA COMPLETO PARA QUEM QUER VIR MORAR EM PETRÓPOLIS QUE VOCÊS TANTO ME PEDIRAM! DICAS DOS MELHORES BAIRROS, SOBRE O COMÉRCIO E ENTRETENIMENTO NA CIDADE, CONFIRAM AQUI:


TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA MORAR EM PETRÓPOLIS!


Postagens Relacionadas

32 comentários:

  1. Gostei das suas postagens sobre Petrópolis. Sou petropolitano, mas há 6 anos eu e minha esposa decidimos mudar para outra cidade. Concordo com quase tudo o que você escreveu. Porém, já moro há 5 anos no Sul do país e posso te dizer que, hoje, não voltaria a morar aí! Sim, as pessoas são extremamente frias e mal educadas. A cidade é muito suja e os rios muito fedorentos. Kkkkkk, discordo quando você diz que os vendedores são gentis, pois vim a conhecer qualidade no atendimento aqui no Sul.

    Outra coisa que você, vinda de outra cidade, deve ter percebido é que os petropolitanos são muito preconceituosos em relação a outras cidades e consideram que vivem na melhor cidade do mundo. Têm uma visão muito tacanha e atrasada!

    A maneira de falar eu considero bem diferente da do rio e Baixada. Estudei 6 anos na UFRJ e Fiocruz e a maneira de falar é bem distinta!

    A infraestrutura, de modo geral, é bem sofrível. Transportes, saúde, internet, energia elétrica são bem ruins.

    Mas gostei muito do texto, muito engraçado ver a visão de outras pessoas sobre minha cidade!

    Tudo de bom para ti!!!

    ResponderExcluir
  2. Muito bacana sua opinião sobre Petrópolis! Sou de fora e realmente muita coisa é assim mesmo, inclusive a adaptação, que é bem complicada. Mas existem exceções, como você mesma disse. Minha amada noiva é petropolitana!Sucesso ao seu blog :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caramba...falou pouco... falou bonito.... e não cuspiu em ninguém... isso mesmo... assim que penso, o povo de Petrópolis é bairrista mesmo!!!

      Excluir
  3. Acrescento: o motorista aqui é muito gentil com pedestre. Não precisa de sinal pra pedestres. Muitas vezes é só colocar o pé na faixa que o carro para. Às vezes até exageram e provocam acidentes. Eu mesma já bati na traseira de um carro que parou de repente pro pedestre passar; só quem é petropolitano passa na Barão procurando pela família das capivaras...rs; só quem é petropolitano passa na 13 de Maio e tenta ler a plaquinha com frases que tem naquela padaria (não sei o nome). Sempre que eu passo por lá, quero ver qual é a frase do dia!; quem nunca saiu da night e comeu noBox do Baixinho? Podem falar o que quiserem, mas o cara é um ícone petropolitao!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ja parei mt no baixinho. hj moro no Rj mas sinto falta da minha cidade.

      Excluir
  4. Eu havia escrito uma resposta ao outro texto, mas sabe-se lá por que a poha do blogger não computou. Tinha falado, basicamente, sobre dois assuntos. O primeiro é o porquê de o centro ser chamado de Avenida. Era Rua do Imperador na época do Império. Com a proclamação da República e a consequente aversão a tudo que se referia a monarquia, a rua se transformou em Avenida XV de Novembro (data da proclamação da República). Assim ficou por muito tempo. Mesmo já tendo voltado a ser Rua do Imperador, sempre vemos os mais velhos se referirem à rua como Avenida, então repetimos e seguimos falando. A outra é que o certo, como vc já sabe, é ruço (assim como quando a perna fica ruça, ou seja, esbranquiçada).

    ResponderExcluir
  5. Essa loja X da Saúde existia quando eu morava aí?

    Sobre a adaptação, realmente a vida fica complicada para o carioca que vai morar aí, pois aqui no Rio é fato que o povo é mais acolhedor. Mas, como você bem disse com outras palavras, é questão de respeitar as diferenças e sempre lembrar que cada um tem seu tempo para confiar no outro. Eu detestava morar aí, nunca escondi isso, mas também conheci pessoas incríveis com quem terei amizade para sempre. Não me arrependi de ter voltado para o Rio, apesar de todo o caos, mas hoje posso dizer que no fundo no fundo ficou um carinho pela cidade e pelos habitantes. Hoje, como turista, é a cidade que primeiro me vem à cabeça quando quero passar um fim de semana fora do Rio.

    ResponderExcluir
  6. Petrópolis é exatamente assim para quem vem de fora... Frequento a cidade a mais o menos o mesmo tempo que você vive aí e sim, é bem interessante o quanto estão próximos e ao mesmo tempo distantes do RJ...

    Ah, sempre leio a placa da padaria também... hahaha

    E acho o trânsito louco e muita coisa que acontece é por causa desse exagero de pararem para os pedestres (ou o carro, no meio da rua, para falar com amigos... rsrs...) Mas em qual outra cidade fluminense poderíamos ter um cruzamento estilo o Duas Pontes onde só funciona por não ter sinal? rsrs... Coisas de Petrópolis...

    ;-)

    ResponderExcluir
  7. Olá Mocinha! Adorei seus textos, sou nativo e apaixonado por essa cidade! Citarei apenas uma curiosidade:

    A respeito de ir ao centro da cidade e dizer que vai "lá fora" é uma gíria de séculos atrás, pois, tudo em volta do centro se resumia a grades fazendas, daí as pessoas precisavam sair das fazendas para ir ao centro, foi onde surgiu a expressão. Ir lá fora (Da fazenda).

    ResponderExcluir
  8. Gostei bastante deste segundo texto. Como em outras cidades, a adaptação é difícil. Cito como exemplo Porto Alegre, onde as pessoas de lá são muito frias e não confiam em quem vem de fora, diferente do povo do Norte do Brasil, onde todas são muito calorosas e te convidam para ir a casa delas no primeiro dia... Rsrsrs. Concordo tb sobre a infraestrutura da cidade, precisa melhorar muito mesmo. Espero que agora já se sinta em casa. Um abraço!!!

    ResponderExcluir
  9. Quem pensa que é feliz em outra terra e porque ainda não viveu aqui!

    ResponderExcluir
  10. Estou encantada com o primeiro texto onde vc traduz de maneira acertadissima o q é ser um estranho fora do ninho. Moro em Caxias mas Petrópolis é como se fosse o meu quintal onde tem muita coisa legal e bonita pra se ver... É muito legal a forma como vc define os petropolitanos e seu jeito peculiar de ser. Concordo muuuuuito com vc. A verdade é que a maioria dos petropolitanos se acham "lindos e ricos"rs rs e nós, q ñ somos de lá, estamos mortos de inveja deles. Ledo engano... Parabéns pelo texto!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Papo típico de gente da baixada.........

      Excluir
    2. Anônimo, que bom que você percebeu pois a pessoa disse que é de Caxias, logo é "gente da baixada", parabéns sua interpretação de texto está muito boa. Continue assim ;)

      Excluir
  11. eu sinto em relação ao Rio de Janeiro essa coisa das pessoas. As pessoas podem ser abertas de início. Mas amizade mesmo, especialmente quando precisa, pode esquecer. sou mineira e estou sofrendo muito. Fui a Petropolis e penso que pode ser uma alternativa para não deixar o estado e o emprego.

    ResponderExcluir
  12. Hahahah que bom que vim ler esse post :D
    Adorei o ps.

    Boutique de Clichês

    ResponderExcluir
  13. Eu fico aqui pensando: por que é que vcs do rio ou baixada precisam tanto fazer amizades, ter com quem falar abobrinha e ajudar a passar o tempo? Seria um certo receio da solidão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falando por mim não sinto necessidade de fazer amizades e ter com quem "falar abobrinha" por receio da solidão, é mesmo pelo fato de que eu sou uma pessoa muito alegre e acho ridícula a mania que alguns (não todos) os petropolitanos tem de serem ríspidos e até mal educados com as pessoas pelo simples fato de não as conhecerem ou de não pertencerem ao seu círculo social VIP. Fazer amizade, rir, ser alegre, falar com as pessoas não custa nada e faz o nosso dia render muito mais do que ficar de cara fechada imaginando que você é o único floco de neve especial do universo. Beijos de Luz.

      Excluir
  14. Muito legal suas observações sobre Petrópolis. Eu sou carioca, mas adoro Petrópolis e me identifico muito com a "personalidade" da cidade (vivi 5 anos lá). Não acho que os cariocas sejam assim tão diferentes do petropolitanos, talvez sejam apenas mais superficiais, talvez se sintam obrigados a tal da hospitalidade brasileira, às vezes até um tanto incômoda, como me segredou um amigo francês. Acho que os petropolitanos não se sentem obrigados a se mostrarem alegres e efusivos, nem mesmo com as pessoas mais próximas. Quando não estão bem ou de bom humor, se afastam um pouco.....depois retornam. Também não acho que se sintam superiores além dos 800 metros que a altitude lhes permitem ser...rs Falando sério, não os percebo se sentindo superiores, mas já vi o contrário, muito carioca achando que petropolitano é caipira e que invejam os cariocas. Cada cabeça, uma sentença. Nos seus texto só senti a falta dos biscoitos... tem tanta fábrica de biscoitos deliciosos por aí, não acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se vc reparar que ela aponta as lojas de ptodutos sem glúten e lactose como uma qualidade da cidade vai concluir que ela é alergica e passa longe dos biscoitos.

      Excluir
  15. Oie, tudo bem? Mor no RJ e eu e meu noivo estávamos pensando em ir pra Petrópolis futuramente, por vários motivos, mas principalmente pelo alto custo de vida aqui no RJ e a violência. Qual bairro vc indicaria pra gente morar? Pretendemos trabalhar no Rio.

    Obrigada!! E adorei seu texto. Bjs

    ResponderExcluir
  16. O que eu queria saber é isso: mofa muito? Tenho muitos livros entao...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bento, aqui tem um problema de mofo sério, principalmente no inverno. O truque é sempre deixar a casa aberta quando tem sol e comprar anti-mofo para os armários. Petrópolis é muito úmido, tem que prestar muita atenção.

      Excluir
  17. Oi Carol!

    Sou de Niterói, sempre morei aqui e por alguns motivos pessoais estou pensando em morar em Petrópolis com a minha mãe.

    Achei seu blog pelo google e estou gostando de ler o que você tem a dizer sobre a cidade.
    Vi que você é estudante de Direito, assim como eu, mas não encontrei em qual faculdade você estuda. Poderia me dizer? Ouço falar super bem da UCP, você conhece? O que acha?

    Beijos, Larissa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Larissa, quando vim para Petrópolis tbm tinha ouvido falar bem da UCP, mas me decepcionei muito, estudei 2 períodos lá e achei péssimo, já foi uma faculdade muito boa, mas hoje, infelizmente só tem nome. Mudei para a Estácio e por incrível que pareça achei o nível lá 1000x melhor do que o da UCP, a maior parte dos alunos passa na OAB antes de terminar a faculdade. Se eu fosse você passava longe da UCP, desperdicei 1 ano inteiro de estudos lá. Boa Sorte Larissa! ;)

      Excluir
  18. Petrópolis me traz lembranças muito felizes. Comecei a frequentar a cidade ainda criança. Mais tarde, era roteiro obrigatório no inverno, para curtir um cinema no extinto Cine D. Pedro. Muitas idas à Rua Teresa, em sua época de burburinho (anos 80). Depois, já casado, foi a vez dos passeios ao Oktoberfest e para as Feiras Agropecuárias em Itaipava. Mas gosto da paz e da tranquilidade da área central da cidade. Quem sabe eu ainda more aí.

    ResponderExcluir
  19. Olá Ana Carolina , moro na região dos lagos , precisamente em Cabo Frio, pertinho da praia e estarei me mudando essa semana pra Petrópolis .Gostaria de saber sua opinião a respeito do mercado de trabalho em Petrópolis .Será que encontrarei dificuldades pra encontrar trabalho ?

    ResponderExcluir
  20. Ótimo todos os seus textos sobre Petrópolis!
    Carioca morando em Petrópolis há 5 meses. Estou na fase odiando a cidade, rs. Transporte público é péssimo, dirigir requer uma paciência de outro planeta, chove além da conta, as pessoas são um tanto devagar para o ritmo de um carioca. Meu marido é de Petrópolis e após morar 15 anos no Rio quis voltar. Bom, já avisei que não morrerei aqui. Prefiro pensar que é um breve período sabático.

    ResponderExcluir
  21. Oi, Carol!! Também sou Carol!! Estou de passagem aqui, vim turistar e gostei dos seus textos, me deram uma orientação. Tenho uma crítica, as lojas "X de Saúde" e "Via Verde" são bem fraquinhas. Elas têm muito de tudo mas não são especializadas em nada. Normalmente quem tem intolerância a lactose ou glúten, tem aos dois ao mesmo tempo, é além, disso, é muito comum intolerância a proteína do leite, é, além de tudo isso, tem ainda, os intolerantes a soja. Fui mas suas lojas q vc mencionou, e vi q os funcionários são bem despreparados, os produtos ficam todos misturados, muito difícil de achar o q tem o que, e o q não tem. Eu, no caso, sou vegetariana/vegana, não consumo nada que possua proteína animal na composição, e não achei quase nada. Posso afirmar que Rio, São Paulo, Salvador, BH e Vitória estão muito a frente de Petropolis nessa área de restrição alimentar e atenção ao vegetariano/vegano.
    E tem um ponto q concordamos, a situação dos animais q carregam as charretes é lastimável, não sei como alguém tem coragem de andar naquilo ao ver a situação deles. Pior do quem usa os bichos pra sobreviver, é quem financia esse sistema cruel. O consumidor tem um papel político muito importante aí, e poderia fazer muito por esses animais!! No mais parabéns pelo blog e pelo ânimo de escrever!! Q vc continue assim. Bjos

    ResponderExcluir
  22. Nossa muito legal...sou louca para morar em Petropolis!

    ResponderExcluir
  23. Moro aqui ha 3 anos.vim de mg. La tbm nao se faz amizades de cara.demora um tempo ate se sentir a vontade MAs somos mto gentis com todos. Aqui o mofo me incomodou bastante ate q encontrei um AP ensolarado .ufaaaa! Tbm estranhei mto a lentidao de atendimento nos caixas do mercado.mas é um Lugar tranquilo e bonito p se cover.

    ResponderExcluir
  24. oI Carol! Gostei muito do seu Blog, pois sou gaúcha e moro há 2 anos Rio e Não me adaptei a cultura. Estou pesquisando para morar em Petropolis, pois achei a cultura mais próxima a gaúcha. Com mais qualidade de vida. obrigada pelas dicas!
    Vc sabe me dizer quais bairros tem perigo de deslizamentos? pois quero comprar um imovel. Abracos

    ResponderExcluir

QUERIDO LEITOR, OS COMETÁRIOS DESTE BLOG SÃO MODERADOS.

Não gaste suas preciosas mãozinhas digitando um texto gigante com xingamentos e palavrões pois ele não será publicado.

Você pode até usar de um tom agressivo, dependendo de como esteja se sentindo, críticas são bem-vindas, mas por favor não use palavras de baixo calão.

Por isso comente sem morder, xingar ou ameaçar o coleguinha por favor!

BEIJOS DE LUZ!

Ass: CAROL

Ps: Para os que se sentirem extremamente ofendidos será dado direito de resposta.

Tecnologia do Blogger.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...